há 11 meses
Dia 07.11
Relatório em ordem cronológica

O fornecimento de energia começou a ser recuperado parcialmente. Segundo o Ministério de Minas e Energia (MME), um dos transformadores da subestação foi recuperado e voltou a ser conectado ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

Rodízio de energia
Com exceção dos serviços essenciais, as demais unidades consumidoras passam por rodízio de energia em intervalos de seis em seis horas em todo o Estado. O planejamento está sendo conduzido pela Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA).

Grupos Geradores
6 grupos geradores, vindos de Manaus, chegaram ao Amapá, com apoio da Força Aérea Brasileira (FAB), para alimentar o sistema de captação e distribuição da Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa) e foram instalados em Macapá, Santana e Serra do Navio.

Defesa do consumidor
A Delegacia de Crimes Contra o Consumidor (Deccon) e o Instituto de Defesa do Consumidor do Amapá (Procon) deram start a operação “Apagão”, com o objetivo de coibir a prática de preços abusivos nas distribuidoras, mercearias e postos. A ação baseou-se em diversas denúncias que indicavam a cobrança indevida no valor da água mineral e combustível em Macapá.

Distribuição de água
A captação e distribuição de água do Sistema Central de Macapá passa a operar com a capacidade máxima.

Com a retomada parcial do fornecimento de energia, os sistemas de água também iniciaram a ativação nos municípios de Ferreira Gomes, Itaubal, Mazagão, Pedra Branca do Amaparí, Porto Grande, Pracuúba, Cutias e Serra do Navio. Cada rede iniciou o procedimento de captação e armazenamento, e procedeu a distribuição no domingo.

Assim como nos sistemas isolados de Macapá, o funcionamento das estações de água depende dos horários de ativação da rede de energia até que os geradores cheguem às localidades, para que funcionem 24h.

Distribuição de hipoclorito
O Governo do Amapá disponibilizou mais de 400 mil frascos de hipoclorito à população dos 16 municípios do Estado para tratamento de água de poço, lagos ou rios e torná-la própria para o consumo. A distribuição, feita pela Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS), acontece em vários municípios, incluindo pontos da capital e da cidade vizinha, Santana. Por conta do apagão, algumas comunidades ainda não têm acesso a água própria para o consumo humano.